Brusque, 15 de novembro de 2018   |   06:11

Transição

O governador eleito Carlos Moisés da Silva anunciou nesta quarta-feira, 07, os nomes que compõem oficialmente a equipe de transição de governo em Santa Catarina. A equipe é composta por onze pessoas, sob a coordenação do professor Luiz Felipe Ferreira, do departamento de Ciências Contábeis da UFSC. Além dele, fazem parte do grupo Fabiano Ramalho, Marcelo Haendchen Dutra, Valdez Rodrigues Venâncio, André Pinheiro de Oliveira, Naiara Czarnobai Augusto, Jorge Eduardo Tasca, Wanderlei Pereira das Neves, Iara Costa Leite, Queila de Araújo Duarte e Luis Augusto Araujo. Os nomes serão publicados ainda nesta quarta-feira no Diário Oficial do Estado.

Moisés salientou ter optado, junto com a vice-governadora eleita, Daniela Reinehr, por uma equipe técnica para conduzir o processo e que há um caráter de multidisciplinaridade nos escolhidos. Além deles, existe uma equipe de apoio, que trabalha de forma voluntária, com o objetivo de facilitar o trabalho do futuro governador no recebimento de informações e na montagem de um raio-X da máquina pública.

“O importante é que a gente possa receber essas informações e trabalhar esses dados para ter um radiograma dentro da administração pública. É preciso mostrar o que a gente tem e as soluções para os problemas eventualmente detectados”, disse Moisés.

Na visão do coordenador do processo de transição, professor Luiz Felipe Ferreira, essa etapa da transição está focando principalmente na questão financeira e na dívida ativa do Estado. Todas as informações serão compiladas até o fim da próxima semana. A partir daí, o foco será na elaboração do projeto de reforma administrativa.

“As informações são as mais amplas possíveis e agora tem um trabalho de consolidação desses dados. O que pode ser visto até o momento é que o futuro governador tem um grande compromisso frente às contas públicas”, afirmou Ferreira.

Uso da tecnologia

O governador eleito também falou sobre o uso da tecnologia, que promete ser uma marca da sua administração. Segundo Moisés, já é possível perceber, durante o processo de transição, quais secretarias ainda patinam nessa área e a tecnologia atuará como uma aliada também na contenção dos gastos públicos.

“A tecnologia é importante. A gente tem trazido pessoas para esse processo que também lidam com sistemas de informação e inteligência para cruzamento e tratamento dos dados. Também há pessoas com experiência em auditorias. Essas ações também visam a transparência, é um compromisso que nós temos com o eleitor, de mostrar o que é feito dentro do Estado da forma mais transparente possível, incluindo os desafios que nós temos pela frente”, finalizou o futuro governador.

Veja a área de atuação dos membros da transição:

Luiz Felipe Ferreira Mestre e Doutor em contabilidade pela UFSC. Coordenador do grupo de transição, tem experiência na área contábil e financeira do setor público e privado.

Fabiano Ramalho 

É advogado e sócio do escritório Ramalho & Advogados Associados. Tem Pós-graduação em Direito Tributário pela FGV e foi presidente da Associação de Estudos Tributários de Santa Catarina - ASSET/SC. Fundou e dirigiu o Observatório Social de Florianópolis em sua primeira gestão.

Marcelo Haendchen Dutra 

É professor de Ciências Contábeis da UFSC, mestre em Contabilidade e Doutor em Engenharia de Produção. Atuou por quase 12 anos na empresa Eletrosul.

Valdez Rodrigues Venâncio 

Oficial da reserva da Polícia Militar, graduado em Direto pela Univali e Mestre em direito pela UFSC, advogado, tem experiência na docência em direito ambiental e constitucional na Unisul. Atuou na Implantação da Polícia Ambiental em Santa Catarina.

André Pinheiro de Oliveira 

Atua como auditor interno da Secretaria de Estado da Fazenda. Formado em Direito, com pós-graduação em Finanças. Coordena o Observatório da Despesa Publica de Santa Catarina.

Naiara Czarnobai Augusto

É integrante do Ministério Público de Santa Catarina, formada em Direito e com especialização em Direito Penal; Cibernético; Corporativo e Compliance, Propriedade Intelectual e MDB em Inovação.

Jorge Eduardo Tasca

É tenente-coronel da Polícia Militar, com atuação no centro de inovação da corporação. Participou na criação do PMSC Mobile, ferramenta para a gestão de ocorrências por meio smartphones e tablets.

Wanderlei Pereira das Neves

Membro da Academia Brasileira e Catarinense de Ciências Contábeis, é auditor interno da Secretaria de Estado da Fazenda. Possui bacharelado em Ciências Contábeis, com especialização em auditoria governamental e mestrado em Administração e Gestão Estratégica das Organizações.

Iara Costa Leite 

É professora-adjunta do Departamento de Economia e Relações Internacionais da UFSC. Atua nas áreas de Cooperação Internacional; Negociação Internacional; Desenvolvimento; Ciência; Tecnologia e Inovação.

Queila de Araújo Duarte

É Procuradora do Estado desde 1998. Tem graduação em Direito pela UFSC e se especializou em Processo Civil pela mesma universidade. Também possui mestrado em Direito pela Univali.

Luis Augusto Araujo

É engenheiro agrônomo e servidor de carreira da Epagri, onde atua como analista socioeconômico e de desenvolvimento rural. Possui mestrado em Ciências Economia Aplicada pela USP e atua como professor da Unisul.

Equipe multidisciplinar de transição faz primeira reunião de trabalho

A equipe de transição indicada pelo governador eleito Carlos Moisés da Silva fez a sua primeira reunião de trabalho completa na tarde desta quarta-feira, 07, na sala de reuniões da Secretaria de Estado da Fazenda. O encontro foi organizado pelo coordenador do grupo, professor Luiz Felipe Ferreira, e contou com uma breve aparição do governador eleito, que agradeceu o empenho de todos e salientou a importância de um diagnóstico preciso da máquina pública para a tomada futura de decisões.

Os membros da equipe fizeram pequenas introduções das suas trajetórias profissionais e, em seguida, ouviram instruções por parte do coordenador de como será a dinâmica de trabalho daqui para a frente.

“É importante que haja uma sinergia entre todos os envolvidos no processo. Esse encontro serviu para um conhecimento mútuo. O nosso objetivo é oferecer uma visão de futuro para Santa Catarina”, disse Ferreira.

Também durante a reunião, o diretor de dívida pública da Secretaria de Estado da Fazenda, Wanderlei Pereira das Neves, fez uma apresentação da situação das contas públicas e os desafios financeiros para os próximos quatro anos.

Detalhes do processo

Após a reunião, o coordenador deu detalhes do funcionamento do processo de transição, com uma divisão em três grupos. O primeiro deles é chamado de “estratégico”, formado pelo círculo mais próximo de Moisés: Luiz Felipe Ferreira, Fabiano Ramalho, Marcelo Haendchen Dutra, Valdez Rodrigues Venâncio e Jorge Eduardo Tasca. Eles são responsáveis pela análise final das informações e aconselhamento direto do governador eleito.

O segundo grupo é formado por técnicos de diversos órgãos, responsáveis pela construção da rede de informações que fará o diagnóstico completo da situação do Estado. Por fim, o terceiro grupo é composto de uma rede de especialistas para auxiliar nas particularidades de cada uma das secretarias de Estado.

Repórter: Secom/Governo de SC
Imagem: Jeferson Baldo/Secom


Veja também