INVESTIGAÇÃO
Suspeito de ameaças à vereadora Ana Lúcia é localizado em Joinville
Mandado de busca e apreensão foi cumprido na manhã deste domingo na casa do suspeito
por NSC Total 22/11/2020 às 09:54 Atualizado em 25/11/2020 às 17:05

Um homem de 22 anos foi localizado na manhã deste domingo (22) pela Polícia Civil como principal suspeito pelas ameaças de morte e ofensas racistas à vereadora eleita em Joinville Ana Lúcia Martins. Ele seria o autor das postagens em redes sociais feitas na última semana, segundo a delegada Cláudia Lopes Gonzaga, titular da Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (Dpcami). 

O mandado de busca e apreensão foi cumprido nesta manhã na casa do suspeito, no bairro Paranaguamirim, zona Sul de Joinville. O homem, que mora com a mãe, já foi interrogado pela Polícia Civil. Ele não teve a identidade divulgada.

Segundo a delegada, os equipamentos utilizados por ele foram apreendidos. No entanto, o homem não foi preso pois não houve flagrante. Além disso, ele sofre de problemas psiquiátricos, o que muda os procedimentos civis com relação ao formato de prisão ou punição. 

- Ele tem esquizofrenia, então provavelmente ele vai passar por procedimento em sanidade. A atuação será em conjunto com o Ministério Público para comprovar autuação - explica a delegada.

O material eletrônico apreendido com o suspeito deve passar por perícia. O mandado foi cumprido pela Polícia Civil em parceria com o Instituto Geral de Perícias. 

Primeira mulher negra eleita no Legislativo

Ana Lúcia Martins é a primeira mulher negra eleita na história de Joinville para compor o Legislativo. Ela sofreu uma série de ataques racistas antes mesmo de se eleger, com mais de 3,1 mil votos. Após os resultados das Eleições 2020, Ana Lúcia teve contas invadidas nas redes sociais e sofreu ameaça de morte na última quarta-feira (18).   

Nos comentários, o perfil que, em um primeiro momento, não possuía identificação clara e teve as postagens excluídas, escreveu frases como "agora só falta a gente matar ela e entrar o suplente que é branco" e "os fascistas mandaram avisar que ela que se cuide".

O caso repercutiu nacionalmente e aconteceu na semana de celebração à Consciência Negra no Brasil.

Assuntos: Segurança
Envie seu comentário sobre esta notícia
Seu nome
Seu telefone
Seu bairro
Sua cidade
Escreva sua mensagem pressione shift + enter para adicionar linha
Todos os campos são obrigatórios
Recomendados