PRONUNCIAMENTO
Alessandro Simas intercede pela liberação gradual de público em eventos para fomentar empresas do setor
“Temos pessoas que já estão imunizadas”, argumentou o vereador, que pretende enviar pedido à Secretaria de Saúde do estado
por Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal de Brusque 14/05/2021 às 15:15
Divulgação

No uso da tribuna durante a sessão ordinária desta terça-feira, 11 de maio, o vereador Alessandro Simas (DEM) afirmou que pretende apresentar um requerimento à Secretaria de Saúde de Santa Catarina para solicitar agilidade na liberação de público, de forma gradual, para eventos esportivos e culturais no território do estado.

“Nós temos pessoas que já estão imunizadas, que já tomaram a segunda dose [da vacina contra a Covid-19]”, argumentou. Simas disse ter se reunido com representantes da área de eventos do município, os quais demonstraram preocupação com a saúde financeira do segmento. O vereador frisou que o setor não corresponde somente a baladas, mas também diz respeito a empresas e profissionais que organizam batizados, primeiras comunhões, entre outras festas familiares, com as medidas de segurança necessárias.

“O estado, além de não ajudar, complica. Temos empresários que conseguiram liminares para aquisição de vacinas fora do país, aí vem o Ministério Público ou a Secretaria de Saúde e entra com pedido pra suspender”, criticou. “Quem quer ajudar acaba não podendo colaborar com o estado brasileiro, com as pessoas”, lamentou.

Na avaliação do democrata, houve falhas da gestão pública em geral que, em mais de um ano de pandemia do novo Coronavírus, não conseguiu possibilitar a vacinação em massa. “O próprio governo federal não se preparou de forma adequada”, avaliou. Para ele, a única forma de combate eficaz é a imunização da população, “não o critério de deixar os eventos fechados e os mercados abertos”, contrapôs.

“Um evento de primeira comunhão organizado por uma empresa especializada é muito mais seguro do que entrar em um supermercado aos finais de semana”, justificou o vereador. Ele também levantou que muitos profissionais da área se encontram desamparados, pois trabalhavam informalmente, como por exemplo, alguns garçons e auxiliares de cozinha, buscando renda extra em eventos.

“A ideia é solicitarmos à secretaria estadual que comece a liberar, com capacidade de público menor e para aquelas pessoas que já estejam vacinadas e imunizadas com a segunda dose”, disse. “Que a Secretaria pense em uma forma de fomentar isso, para que esse segmento volte a faturar, resgate um pouquinho do seu prejuízo, seja na área de Cultura, de Esporte, nos clubes de futebol”, exemplificou o parlamentar.

Assuntos: Política
Envie seu comentário sobre esta notícia
Seu nome
Seu telefone
Seu bairro
Sua cidade
Escreva sua mensagem pressione shift + enter para adicionar linha
Todos os campos são obrigatórios
Recomendados