Auxílio medicamento
Auxílio medicamento
Na sessão desta terça-feira (20), a Câmara Municipal de Brusque aprovou em segunda...
por Redação 21/11/2018 às 00:00 Atualizado em 23/11/2018 às 16:02

Na sessão desta terça-feira (20), a Câmara Municipal de Brusque aprovou em segunda votação o projeto de lei que altera as normas para a concessão do auxílio para medicamentos a todos os servidores públicos do município. 

O projeto, que teve sua primeira aprovação no dia 25 de agosto, retornou a discussão, após um amplo debate entre a prefeitura, Câmara e o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sinseb) que indagou a possibilidade de que os servidores fossem prejudicados pelas novas regras. 

Porém, durante a semana, o sindicato conversou com a prefeitura e ficou estabelecido que o projeto original fosse aprovado para que em janeiro o executivo envie novo projeto com os itens que não são considerados essenciais para tratamentos de saúde, como produtos estéticos, por exemplo, dentre outros. O presidente do Sinseb, Orlando Soares Filho, acompanhou a votação e explicou que este é o único auxílio médico que os servidores possuem desde 1996 (ouça abaixo). 

De acordo com o líder do governo, Alessandro Simas a ideia original proíbe os abusos e será mais econômico para o município. O novo projeto que deve ser enviado em janeiro irá retirar 13 itens da lista que, segundo o entendimento dos vereadores, sindicato e da prefeitura, não são justos que o governo pague. 

O projeto foi votado em primeira votação da forma original e, por isso, não foi possível que fossem feitas as emendas necessárias. Desta forma, o vereador Claudemir Duarte, o Tuta, foi o único que não votou favorável. Ele explica que quando o projeto chegar ao legislativo com todas as reivindicações feitas pelo sindicato e pelos vereadores, então irá votar a favor.

Envie seu comentário sobre esta notícia
Seu nome
Seu telefone
Seu bairro
Sua cidade
Escreva sua mensagem pressione shift + enter para adicionar linha
Todos os campos são obrigatórios
Recomendados