PRONUNCIAMENTO
Deivis da Silva alerta para atendimentos particulares de saúde que não podem ser revertidos para o SUS
O parlamentar ainda parabenizou a atuação de profissionais na vacinação contra a Covid-19
por Assessoria de Imprensa Câmara de Brusque 13/09/2021 às 14:45 Atualizado em 13/09/2021 às 15:45
Foto: Divulgação

Ao se pronunciar durante a sessão ordinária da última quinta-feira, 9 de setembro, o vereador Deivis da Silva (MDB) abordou situações de atendimentos de saúde feitos de forma privada em hospitais de Brusque que munícipes teriam tentado, sem sucesso, reverter para a modalidade pública, via Sistema Único de Saúde (SUS).

 Em um dos casos relatados por ele, uma cidadã teria optado pelo atendimento particular ao dar entrada de um familiar no Hospital Azambuja, “no afã de resolver a situação o mais rápido possível”, comentou. Com despesas que resultaram em um valor mais alto do que o esperado, a munícipe o teria procurado na tentativa de alterar o atendimento para o SUS. 

“Depois que você contrata de forma particular, desde a porta de entrada do hospital, tudo vai ocorrendo de forma particular, não tem mais como voltar ao SUS”, explicou. “Eu chamo a atenção para as pessoas tomarem esse cuidado de verificar quanto vai ser a conta, como vai ser todo esse atendimento, medirem as consequências”, alertou.

Deivis também citou circunstâncias semelhantes relacionadas a serviços funerários. “Pessoas carentes que não tem muitos recursos, que querem fazer uma despedida de forma mais honrosa para um ente querido, acabam escolhendo aquele tipo de funeral e depois também vem a conta”, citou. Ele compartilhou casos em que cidadãos recorreram à Secretaria de Assistência Social, pasta para a qual se licenciou como vereador para ocupar o posto de secretário na última gestão. 

“Quando chega o momento de contratar o serviço, se não tem condição, já avisem a funerária”, pediu o parlamentar, que citou a possibilidade de uso de convênio firmado entre funerárias de Brusque e a prefeitura para fornecimento de um serviço específico nestas situações. “Não adianta contratar tudo, vem a conta de R$ 5 mil, e aí ligar para Assistência Social ou prefeitura”, frisou. 

Vacinação

Por fim, o vereador parabenizou os profissionais envolvidos na vacinação da 2° dose da vacina contra a Covid-19 para a faixa etária de 49 anos, iniciada no dia 8.  “O atendimento lá no Pavilhão da Fenarreco foi muito bem organizado, num drive thru, bem sinalizado desde a entrada com a equipe da Guarda de Trânsito e da Secretaria de Saúde, depois da 17h, ocorrendo de forma pacífica, com pessoas no pré-atendimento conferindo a documentação”, registrou.

Assuntos: Política
Envie seu comentário sobre esta notícia
Seu nome
Seu telefone
Seu bairro
Sua cidade
Escreva sua mensagem pressione shift + enter para adicionar linha
Todos os campos são obrigatórios
Recomendados