TRIBUNA

Eder Leite se manifesta no plenário sobre a sua denúncia contra Jocimar Santos

“Fui considerado um burro, um mal representante aqui da casa. [...] Um bom representante é aquele que bota dinheiro no bolso?”, contestou
por Assessoria de Imprensa Câmara de vereadores 06/12/2023 às 18:06 Atualizado em 06/12/2023 às 18:27
Imagem divulgação

No uso da tribuna da sessão desta terça-feira, 5 de dezembro, o vereador Eder Leite (DC) se pronunciou sobre a denúncia feita por ele, que levou à prisão do vereador licenciado Jocimar Santos (DC), em operação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) na noite da última quinta-feira, 30 de novembro. Segundo informações da Polícia Civil de Brusque, Jocimar estaria envolvido em suposto esquema de “rachadinha”.

Eder declarou que a situação é triste e lamentável: “Fui considerado um burro, um sem estudo, um mal representante aqui da casa. Vocês acham que um bom representante é aquele que passa pano, bota dinheiro no bolso, passa a perna?”, contestou.  Ele relatou ao plenário diversas situações que o motivaram a procurar o Ministério Público (MPSC) para denunciar Jocimar.

“Fiz [a denúncia] porque isso estava me incomodando. Ninguém calçou meu sapato, ninguém sabe da minha situação. Eu aceitei, mas não concordava”, disse. Leite explicou que, após ter sido cobrado por Jocimar, na terça-feira antes da prisão, para repassar parte do salário, ele decidiu fazer a denúncia e gravar o momento em que lhe entregava o valor, sem saber que a operação estava montada nas proximidades do ponto de encontro combinado entre eles. 

Licença premeditada

O parlamentar afirmou ainda que o pedido de licença feito por Jocimar para se ausentar da Câmara por um mês foi premeditado e envolve um projeto de lei que pediria o aumento do salário dos vereadores. “Foi tudo planejado por causa desse aumento. Ele queria que eu votasse favorável ao aumento de R$ 11 mil para R$ 15 mil e eu não aceitava”, contou. “Ele fez o afastamento, que ele não queria, por isso que ele cobrou [a rachadinha], para não perder o mês todo, acredito eu, e me botava como o bobo”, disse Eder. 

Um áudio de gravação apresentado por Eder no microfone da tribuna, mostra o que seria uma declaração de Jocimar tentando convencê-lo a votar a favor do referido projeto de lei, caso a proposta desse entrada na Câmara e fosse votada enquanto o suplente o substituía. No áudio, Jocimar ainda teria garantido a Eder que a repercussão negativa sobre o aumento de salário seria passageira: “O pessoal reclama uma semana só e daí ninguém fala mais nada”, diz a gravação. O titular ainda teria debochado de Eder e dito que este não precisaria ter preocupação em “se queimar” ao votar a favor do aumento de salário, uma vez que não alcançaria muitos votos numa próxima eleição. 

“Espero que sirva de lição”

Ao finalizar, o vereador declarou que aguarda o fim da investigação pelas forças policiais e o julgamento da Câmara sobre o caso. “Eu espero que sirva de lição. E como disse o Jean [Pirola], não condenar, sem dúvidas, mas as provas estão aí, estão todas com a Polícia. A Câmara aceitou todos os argumentos que passei, vão tocar pra frente e eles também querem dar uma resposta pro povo. Espero que cheguem à melhor decisão, que não pensem só em nós, mas em toda a sociedade em conjunto”, disse. 

Assista ao pronunciamento do vereador na íntegra:

Texto: Aline Bortoluzzi/Imprensa Câmara Brusque

Assuntos: Política

Envie seu comentário sobre esta notícia

Seu nome
Seu telefone
Seu bairro
Sua cidade
Escreva sua mensagem pressione shift + enter para adicionar linha
Todos os campos são obrigatórios

Recomendados

WhatsApp