TECNOLOGIA
Estudantes alcançam o 4º lugar em torneio nacional de debates
Foi a primeira vez que o Colégio São Luiz esteve representado neste projeto da Universidade de São Paulo (USP)
por Assessoria de Imprensa 15/06/2021 às 05:30 Atualizado em 15/06/2021 às 05:31
Imagem: Divulgação

Retórica, raciocínio lógico, poder de persuasão. Pela primeira vez, alunos do Colégio São Luiz participaram do torneio nacional de debates, organizado pela Universidade de São Paulo, entre os dias 3 e 6 de junho. Miguel Ribeiro Machado, Ana Alice Kohler, Vitória Schlindwein e Clarissa Dias Rodrigues Andrade são estudantes do 2º Ano do Ensino Médio e alcançaram o quarto lugar já nesta estreia na competição. Com apoio do professor de História, Guilherme Augusto Hilário Lopes, e da coordenadora pedagógica, Cíntia Cardoso, a experiência reforçou a importância do diálogo, da escuta e do respeito aos diferentes pontos de vista.

Ao todo, 19 escolas brasileiras estiveram representadas no projeto, que somou 24 equipes. O Colégio São Luiz foi o que alcançou o melhor desempenho no sul do Brasil, chegando à semifinal da competição.

“Haviam rodadas com temas já definidos e rodadas surpresas, cujos assunto era apresentado uma hora antes do debate. Além disso, a definição da equipe como defesa ou oposição ao tema era anunciada 10 minutos antes, o que nos exigia duas pesquisas diferentes”, conta Clarissa Dias Rodrigues Andrade, que ganhou um certificado como a quarta melhor debatedora do torneio.

Por conta da pandemia da Covid-19, a competição aconteceu de forma virtual. Nem os membros da equipe estavam no mesmo ambiente: a pesquisa e a organização do conteúdo era feita através de vídeo chamada. “O raciocínio lógico era o mais valorizado. A gente refletia sobre as partes mais frágeis do argumento e utilizava algumas blindagens como estratégia”, lembra Ana Alice Kohler.

Implementação do parlamentarismo, retirada de estátuas de líderes opressores, investimento no mercado interno ou externo, glorificar ou não pessoas de sucesso que abandonaram a educação formal e aprovar ou não Getúlio Vargas como presidente do Brasil foram alguns dos temas debatidos pelos estudantes.

“A partir desta experiência percebi que a opinião é algo que merece ser construído, levando em consideração diferentes aspectos. É importante expandir nosso olhar”, comenta Vitória Schlindwein. Já Miguel Ribeiro Machado se impressionou como todo tema pode ser defendido ou criticado. “Tudo parece ter o lado positivo e negativo”, destaca. 

Emoção

O professor de História, Guilherme Augusto Hilário Lopes, diz que só conseguiu compreender bem a estrutura do jogo durante a realização do evento e que era visível a preparação das demais escolas, onde o debate já é uma prática tradicional. “Fiquei impressionado com o desempenho da nossa equipe, frente às demais escolas que já se classificaram em mundial de debates. Com certeza é uma área que vale à pena investir, pela experiência do conhecimento”, afirma o professor.

A coordenadora pedagógica, Cíntia Cardoso, teve a oportunidade de acompanhar a transmissão ao vivo da semi final e vibrou com a atividade. “Que orgulho ver isso! Me emocionei com todas as dimensões do meu ser”, enaltece. 

Saiba mais

"USP Schools" é um torneio de debates para escolas, promovido pela USP Debate: a sociedade de debates competitivos formada por alunos da Universidade de São Paulo. O Torneio segue o modelo World Schools, uma forma dinâmica de debate combinando conceitos de temas prévios com temas surpresas, incentivando os debatedores a se concentrarem em questões específicas, em vez de debater teoria ou argumentos procedimentais.

O debate competitivo é um espaço frutífero para aprender e praticar diversas habilidades cruciais, tanto na vida profissional como acadêmica. O debate competitivo é também um esporte, pois estimula a inteligência emocional e a ética

A participação ativa de estudantes em campeonatos demonstra o interesse do aluno na busca pelo conhecimento, e a sua disposição de se superar constantemente, alcançando novos patamares de si mesmo. Além disso, para a internacionalização, torna-se crucial também: geralmente, as universidades estrangeiras (principalmente as americanas) consideram a participação em atividades extracurriculares como uma das medidas mais importantes para a admissão do estudante. Nesse sentido, o debate competitivo é uma das atividades mais tradicionais e valorizadas para se avaliar o currículo do aluno.

Envie seu comentário sobre esta notícia
Seu nome
Seu telefone
Seu bairro
Sua cidade
Escreva sua mensagem pressione shift + enter para adicionar linha
Todos os campos são obrigatórios
Recomendados