Saudades
governador anuncia a contratação de 30 profissionais para auxiliar a comunidade
Viemos trazer esperança a este povo tão acolhedo
por Secom / Governo de SC 14/05/2021 às 17:50 Atualizado em 15/05/2021 às 06:59
Divulgação

O governador Carlos Moisés esteve em Saudades na tarde desta sexta-feira, 14, e anunciou a contratação de 25 psicólogos e cinco assistentes sociais para auxiliar no atendimento psicossocial à comunidade e aos familiares das vítimas da tragédia causada pelo assassinato de três crianças e duas agentes educacionais em uma creche, ocorrida na última semana. A manifestação foi feita durante a visita do Ministro da Educação, Milton Ribeiro, ao município do Oeste catarinense.

Em reunião na prefeitura, com a presença de alguns pais das vítimas, o chefe do executivo Estadual, muito emocionado, demonstrou a solidariedade e o apoio do Governo do Estado neste momento de dor. “Queremos mitigar os efeitos dessa situação, apoiar e somar junto às ações que já estão sendo feitas. Viemos trazer esperança a este povo tão acolhedor. Eu também sou pai e posso imaginar o tamanho dessa dor. A violência que aconteceu aqui não pode se repetir em lugar nenhum. Como Governo do Estado, faremos o que for necessário para apoiá-los e trazer novamente a sensação de segurança”, afirmou Carlos Moisés.

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, informou que o Governo Federal dará atenção especial para melhorias na estrutura educacional do município, seja com obras seja com equipamentos.

O prefeito de Saudades, Maciel Schneider, relatou que o município viveu no dia 4 de maio o pior episódio da sua história e destacou a importância do apoio que a cidade tem recebido. “Nossa população está extremamente triste e abalada. Esse suporte do Governo do Estado vem no momento certo, quando nossa comunidade, famílias e professores mais precisam. Aos poucos estamos tentando nos recuperar. Desde o primeiro momento contamos com o auxílio de muitos profissionais e alguns estão fazendo trabalhos voluntários. Só temos a agradecer a todos que estão se solidarizando neste momento tão difícil para cuidar do nosso povo”, disse o prefeito que também agradeceu pela presença do ministro.

A contratação dos profissionais anunciados pelo governador se dará por meio de termo de cooperação entre a Secretaria de Estado da Saúde (SES) e a Secretaria da Educação (SED). O edital será publicado no Diário Oficial desta sexta-feira. A coordenação da equipe que vai atuar no município ficará a cargo da SED, por meio do Núcleo de Educação e Prevenção (Nepre), da coordenadoria regional de Educação de Maravilha.

Também acompanharam o encontro o secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, de Desenvolvimento Econômico Sustentável, Luciano Buligon, presidente da Assembleia Legislativa, Mauro de Nadal, deputado Estadual, Fabiano da Luz, reitor da Universidade Federal Fronteira Sul, Marcelo Recktenvald, presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, Marcelo Lopes da Ponte, vice-prefeito de Saudades, Marcos Hoss, presidente da Câmara de Vereadores, Eliamar Corradi, familiares das vítimas e outras autoridades.

Para reforçar a segurança nas escolas, o governador destacou que todas as 1.064 unidades da rede estadual de ensino terão vigilância humana. Carlos Moisés afirmou que um dos focos do Governo do Estado é uma educação de ainda mais qualidade, aliado a isso, salientou que é necessário que as escolas sejam sempre humanizadas, seguras e acolhedoras. Acrescentou que serão adquiridos computadores para doar aos professores, com apoio da Assembleia Legislativa.

A tragédia deixou traumas difíceis de superar no município de quase 10 mil habitantes. Fabricia Maldaner é tia de Murilo, menino de 1 ano e 9 meses que está entre as vítimas. “É complicado lidar com a situação. Precisamos do apoio em todos os sentidos, especialmente dando força às famílias. Foram cinco vítimas fatais, e o Henrique, que foi ferido, mas felizmente sobreviveu. A ajuda psicológica é fundamental. Acredito que cada pessoa tem o seu tempo, umas precisam desse apoio imediatamente e outras mais tarde. O importante é amenizar essa dor que atinge a todos nós”, afirmou.

A moradora de Saudades, Regina Jank, mãe de uma menina de 1 ano e 11 meses que estuda na creche, ainda teme deixar a filha voltar à escola. “Sentimos medo, mas esse medo não pode nos paralisar. Minha filha pede todos os dias para voltar ao educandário. Não está sendo fácil para toda a comunidade. Mas vamos seguir em frente dando forças um ao outro”.



Assuntos: Segurança
Envie seu comentário sobre esta notícia
Seu nome
Seu telefone
Seu bairro
Sua cidade
Escreva sua mensagem pressione shift + enter para adicionar linha
Todos os campos são obrigatórios
Recomendados