JARDIM MALUCHE
Jean Pirola reforça cobrança por fiscalização do descarte irregular de lixo e entulhos
Vereador citou regra do Código de Posturas que prevê a cobrança da limpeza feita pela prefeitura ao infrator: “O bairro está virando um lixão”
por Assessoria de Imprensa da Câmara de Brusque 11/05/2019 às 06:45 Atualizado em 11/05/2019 às 06:53

Em pronunciamento durante a sessão ordinária desta terça-feira, 7 de maio, o vereador Jean Pirola (PP) comentou sobre a reunião em que recebeu, na Câmara Municipal, representantes da Associação de Moradores do Jardim Maluche (Amasc), para tratar de demandas relacionadas ao bairro. 

“Demos o encaminhamento necessário às reivindicações, que foram o término da construção do banheiro da praça do Jardim Maluche e a iluminação do local, que está sendo muito bem instalada, entre outros pedidos”, afirmou o parlamentar.

Junto a Amasc, prosseguiu Pirola, também foi abordado o descarte de lixo residencial, entulhos e podas de árvores em canteiros centrais de ruas do bairro - “e a prefeitura sendo obrigada a fazer o recolhimento desse material, sendo que nos outros bairros esse serviço não é realizado” – disse. “Isso está trazendo indignação não só para os moradores do Jardim Maluche que não procedem dessa forma, como a moradores dos demais bairros”.

Nos últimos dias, acrescentou, ele pôde perceber aumento no número de pontos em que o descarte irregular de lixo vem ocorrendo no bairro: “A prefeitura não tem obrigação de recolher restos de poda. O morador é responsável pela limpeza do seu lote”, frisou. “O Jardim Maluche, em suas principais ruas, está virando um verdadeiro lixão, por culpa de uma meia dúzia que está prejudicando os outros”.

Pirola também denunciou o descarte de podas de árvore e lixo no Bosque do Garapuvu, onde as escolas costumam levar alunos para passear e fazer pesquisas. O bosque também é usado para caminhadas e lazer. 

“O Código de Posturas é claro. Se o cidadão for pego jogando material em vias públicas, a prefeitura irá fazer a limpeza e cobrar dele valor gasto para fazer esse serviço, acrescido de 10%. A lei é de 2008 e nunca foi utilizada”, criticou.

“Peço que a prefeitura faça a limpeza do Jardim Maluche pela última vez e que, depois que o bairro estiver limpo, a própria comunidade possa ajudar na fiscalização e identificação de quem está fazendo essas atrocidades, para que a prefeitura possa autuar, multar e punir os responsáveis”.  

Assuntos: Política
Envie seu comentário sobre esta notícia
Seu nome
Seu telefone
Seu bairro
Sua cidade
Escreva sua mensagem pressione shift + enter para adicionar linha
Todos os campos são obrigatórios
Recomendados