ACIBR
Núcleo promove workshop ‘A escuta além das palavras’
Ministrado pela psicóloga Mérlei Colzani, o evento apresentou aspectos da psicologia que podem ser utilizados no dia a dia dos educadores físicos
por Assessoria de Imprensa Ideia Comunicação 17/04/2021 às 06:27

Com o objetivo de promover o autoconhecimento dos educadores físicos, bem como auxiliá-los a ouvir as necessidades de seus alunos e clientes, perceber os problemas e dificuldades enfrentadas pelos mesmos e orientá-los da melhor forma, o Núcleo de Atividades Físicas da Associação Empresarial de Brusque (ACIBr) promoveu ao longo da sexta-feira, 16 de abril, o workshop ‘A escuta além das palavras’. O evento foi realizado na sede da entidade, com todos os protocolos de prevenção contra a Covid-19.

Ministrado pela psicóloga Mérlei Colzani, o evento apresentou aspectos da psicologia que podem ser utilizados no dia a dia dos educadores físicos, ao lidarem com os alunos que muitas vezes falam sobre suas angústias, inseguranças e dilemas. “A ideia é orientá-los para que eles possam perceber nos alunos o que está ocorrendo com aquela pessoa, que muitas vezes se frustra ou desiste do treino. Ou seja, trazer um pouco desse olhar para entender o que está por trás dos processos e das palavras, ter um pouco de percepção do que é dito pelos alunos. E quando isso ocorre, os educadores físicos conseguem identificar e direcionar as necessidades desse aluno com mais assertividade, promovendo um melhor relacionamento, e dando a continuidade a prática da atividade”, explica Mérlei.

Outro aspecto abordado durante o workshop foi em relação ao autoconhecimento, para que os educadores possam perceber suas habilidades e dificuldades e assim melhorar a relação com os alunos. 

Equilíbrio

Segundo o coordenador do Núcleo, Leonardo Trindade Ribeiro, a temática do workshop surgiu após o período de pandemia, que despertou a necessidade dos profissionais desenvolverem melhor a questão psicológica. “Vimos que a pandemia potencializou muito a questão de saúde mental das pessoas. E percebemos que não adianta termos a parte técnica, os treinos, nos especializamos em determinada área, se não entendemos nosso alunos, suas dores, dificuldades e medos, que são obstáculos a serem vencidos. Ou seja, nem sempre a prática da atividade física é simples, pela questão mental. Hoje, vivemos em um momento difícil, mas precisamos nos adaptar e evoluir. E a partir do momento em que passamos a entender e ajudar as pessoas a se conhecerem, a estarem bem psicologicamente, alcançamos o equilíbrio entre a saúde física e mental, promovendo saúde e qualidade de vida”, frisou.

Envie seu comentário sobre esta notícia
Seu nome
Seu telefone
Seu bairro
Sua cidade
Escreva sua mensagem pressione shift + enter para adicionar linha
Todos os campos são obrigatórios
Recomendados