Geral
Samae notifica Recicle Catarinense de Resíduos
Segundo diretor-presidente da autarquia, objetivo é impedir responsabilizações indevidas por conta de convênio
por Secom/ Brusque 22/02/2021 às 16:33 Atualizado em 22/02/2021 às 16:56

Nesta segunda-feira, 22 de fevereiro, o Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) de Brusque notificou extrajudicialmente a empresa Recicle Catarinense de Resíduos LTDA. O objetivo é requerer da concessionária responsável pela coleta de lixo no município o envio de diversas informações sobre o trabalho realizado atualmente na cidade. 

Conforme o diretor-presidente do Samae Brusque, Luciano Camargo, apesar de a autarquia manter convênio apenas para arrecadar e repassar a tarifa do lixo à Recicle, a imagem de ambas as empresas acabam atreladas e associadas. Por conta disto, na visão do gestor, é preciso zelar para que não ocorram responsabilizações indevidas.

“Nosso setor de atendimento recebe muitas reclamações atualmente, pois o cidadão não entende que o Samae é só um mero arrecadador. Não temos vínculo com a Recicle a não ser esse convênio firmado”, explica Luciano. “O contribuinte faz uma série de reclamações, pois a Recicle não presta o devido atendimento. Isso faz com que a nossa imagem fique desgastada. Nós temos uma parceria de cobrança, só que agora estão ocorrendo situações que geram um desgaste pra gente e estamos querendo saber como a Recicle trata seus clientes”, complementa.

Na notificação estão contidos questionamentos acerca dos critérios utilizados pela concessionária para a cobrança das taxas de lixo; sobre como é feita a cobrança; quais as formas de atendimento ao público; quais os componentes levados em conta para o último reajuste; como o cidadão pode para pagar separadamente a tarifa do lixo (o que é previsto por lei) e quais os critérios de contrapartida financeira atualmente realizados pela Recicle ao Samae Brusque.

Imbróglio

Com a pandemia, muitos contribuintes deixaram de pagar as suas faturas de água, por conta do acréscimo da tarifa de coleta de lixo. Conforme Luciano Camargo, é preciso separar uma coisa da outra. “Se a pessoa tem recursos financeiros apenas para pagar a água, nós vamos buscar esse pagamento e fazendo com que as empresas conveniadas façam suas cobranças”, finaliza.

Assuntos: Comunidade
Envie seu comentário sobre esta notícia
Seu nome
Seu telefone
Seu bairro
Sua cidade
Escreva sua mensagem pressione shift + enter para adicionar linha
Todos os campos são obrigatórios
Recomendados