CÂMARA DE BRUSQUE
Saúde Pública volta a ser tema central da reunião no Poder Legislativo
Vereadores aguardam por resposta da secretaria para realizar encontro e ouvir como estão os serviços oferecidos à população
por Departamento de Jornalismo - Rádio Araguaia 12/06/2019 às 05:50 Atualizado em 12/06/2019 às 05:51

Novamente em pauta na sessão da Câmara de Brusque, as questões da saúde do município foram amplamente debatidas entre os vereadores na sessão dstae terça-feira (11/6). 

Na reunião passada, a Câmara discutiu um requerimento de autoria do vereador Paulinho Sestrem que solicitava a criação de uma comissão especial para analisar os encaminhamentos feitos pela comissão especial em saúde, criada em 2017, com a finalidade de fiscalizar se as ações sugeridas foram concretizadas e ampliar as investigações sobre o sistema de saúde de Brusque. O requerimento foi adiado por 30 dias para que durante este tempo seja feita uma reunião com representantes da Secretaria de Saúde e do Hospital Azambuja. 

Porém, até o momento, a Secretaria de Saúde de Brusque ainda não deu um retorno sobre sua participação no encontro. Para Sestrem, a câmara tem a missão de auxiliar também, pois diariamente, a população encaminha demandas da saúde, pois é preciso que se tenha uma solução para a sobrecarga do Hospital Azambuja:


Um dos vereadores que usou a tribuna para abordar a questão foi Jean Pirola que, na semana passada, juntamente com o vereador Marcos Deichmann, apresentou um requerimento para realizar a reunião com representantes do Hospital Azambuja e da Secretaria Municipal de Saúde de Brusque. O objetivo, segundo o legislasdor, é esclarecer a situação e buscar soluções. 

Pirola destacou que o convênio com o Hospital Azambuja é uma preocupação de toda a comunidade e gera  insegurança para a população quanto a continuidade do atendimento no Pronto Atendimento. Ele disse que os vereadores foram surpreendidos com o retorno da Secretaria de Saúde de que deveriam esperar mais 15 dias para realizar o encontro: 


Marcos Deichmann também fez uso da tribuna para levantar o assunto. Para ele, o que preocupa é que não é uma campanha de conscientização que irá resolver o problema da superlotação do hospital. Conforme Deichmann, a ideia de fazer uma reunião é de saber qual é a dificuldade de cada um para que os vereadores possam intermediar. Conversar com todos os envolvidos, se unir para buscar uma solução para o problema que está exposto: 


Segundo Deichmann, cerca de 75% dos atendimentos do hospital Azambuja são ambulatoriais que poderiam ser resolvidas nas Unidades de Saúde do município:


Outros temas foram debatidos pelos vereadores que marcaram uma nova sessão para a próxima terça-feira, às 18 horas.  


Envie seu comentário sobre esta notícia
Seu nome
Seu telefone
Seu bairro
Sua cidade
Escreva sua mensagem pressione shift + enter para adicionar linha
Todos os campos são obrigatórios
Recomendados