Solenidade marca início de nova fase para canonização de catarinense

Marcelo Câmara pode se tornar o primeiro Promotor de Justiça a ser canonizado pela Igreja Católica
por Assessoria de Imprensa - MPSC 08/04/2024 às 06:40 Atualizado em 08/04/2024 às 09:14
Imagens: Divulgação

O Santuário Sagrado Coração de Jesus, nos Ingleses, norte de Florianópolis, ficou lotado na tarde deste sábado (6/4) para a celebração de encerramento da fase arquidiocesana do processo de Beatificação e Canonização do Promotor de Justiça do Minsitério Público de Santa Catarina Marcelo Henrique Câmara. 

Agora, o processo segue em Roma com a análise dos feitos e dos possíveis milagres atribuídos à MHC. Falecido em 2008, o jovem Promotor de Justiça pode se tornar o primeiro santo nascido em Santa Catarina.

O Procurador-geral de Justiça, Fábio de Souza Trajano, acompanhou a cerimônia na tarde de sábado. O Promotor de Justiça André Ghiggi Caetano da Silva, a Promotora de Justiça Márcia Aguiar Arend e a Promotora de Justiça Marina Modesto Rebelo (Coordenadora estadual do GEAC) também compareceram a celebração.

A solenidade envolveu dois momentos. Na primeira parte, houve uma sessão do Tribunal Eclesiástico com a conclusão dos trabalhos do inquérito diocesano da causa, em que foram selados os autos que seguirão para a análise na fase romana. Após, foi celebrada uma missa em ação de graças aos frutos da causa de beatificação e canonização. A solenidade foi presidida pelo arcebispo de Florianópolis, Dom Wilson Tadeu Jönck, e contou com a presença de autoridades eclesiásticas, membros do MPSC e familiares.

O processo 

A primeira fase começou em 2020 e foi constituída pela abertura do processo no Tribunal Eclesiástico. Houve apurações, entrevistas e a coleta de testemunhos que atestaram a notoriedade do Promotor de Justiça de acordo com os valores da Igreja Católica. O processo envolve o levantamento de diversas informações relativas à vida de Câmara, sua postura em relacionamento com as pessoas e retidão dentro dos conceitos da Igreja Católica, além da admiração de pessoas que conviveram com o Promotor em diferentes momentos de sua vida. 

Os dados recolhidos seguem para a análise de especialistas no Dicastério para as Causas dos Santos, no Vaticano. Se a avaliação for positiva, haverá uma recomendação para que o Pontífice da Igreja Católica conceda a Marcelo Câmara o título de venerável. Caso isso ocorra, o Promotor de Justiça estará em condições de ser beatificado. Após, para que o processo de beatificação seja concluído, será necessária a comprovação de um milagre atribuído a ele. Na sequência, um novo milagre precisará ser comprovado para que Marcelo Câmara seja canonizado e receba o título de santo da Igreja Católica. Não há prazo estabelecido para a conclusão do processo. 

Marcelo Câmara morreu aos 28 anos, em 2008, devido a complicações de um câncer. Antes de ingressar no Ministério Público de Santa Catarina, foi professor substituto da Universidade Federal de Santa Catarina e professor nos cursos de Direito do Instituto de Ensino Superior da Grande Florianópolis e da Faculdade Santa Catarina.

Envie seu comentário sobre esta notícia

Seu nome
Seu telefone
Seu bairro
Sua cidade
Escreva sua mensagem pressione shift + enter para adicionar linha
Todos os campos são obrigatórios

Recomendados

WhatsApp