CONSTRUÇÃO CIVIL
Varejo de material de construção cresce 5% em novembro, sobre outubro
Na comparação com novembro do ano passado, desempenho foi 2% superior. No acumulado do ano, setor tem 6,5% de crescimento sobre mesmo período de 2018
por Redação 04/12/2018 às 06:28 Atualizado em 04/12/2018 às 06:29

O varejo de material de construção cresceu 5% no mês de novembro, na comparação com outubro. Com relação ao mesmo período do ano passado, o desempenho foi 2% superior. Já no acumulado do ano, o setor apresenta alta de 6,5% sobre o mesmo período de 2017. Nos últimos 12 meses, há crescimento de 7,5%.

Os dados são da Pesquisa Tracking mensal da Anamaco, que entrevistou 530 lojistas entre os dias 26 a 28 de novembro. Segundo o levantamento, quase todas as regiões do País apresentaram crescimento, com destaque para o Sul (9%), Nordeste (8%), Norte (5%) e Sudeste (4%). O Centro-Oeste, que foi a região que mais cresceu no mês passado (18% sobre setembro), apresentou queda de 10% em novembro.

Segundo o presidente da Anamaco, Cláudio Conz, o desempenho no mês indica a confiança do setor nas ações anunciadas até agora pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro. “O otimismo do setor com relação ao governo nos próximos 12 meses atingiu 84%, maior patamar desde janeiro de 2013. Fora isso, os lojistas acreditam que o novo governo dará prioridade à Saúde, Segurança Pública e Educação, áreas que influenciam diretamente o nosso setor, com a construção de escolas, hospitais e novos presidios”, declara.

O levantamento da Anamaco apontou que quase metade dos lojistas pretende realizar investimentos nos próximos 12 meses (45%), incluindo treinamento de funcionários. Cerca de 16% dos entrevistados também querem contratar novos funcionários já em dezembro.

Entre as categorias avaliadas, revestimentos cerâmicos apresentaram o maior aumento no mês (12%).

Tintas tiveram desempenho 7 superior a outubro, já telhas de fibrocimento apresentaram índice 3% superior no período.

Para Conz, a previsão de vendas em dezembro deve ser inferior a novembro. “Tradicionalmente, por conta das festas de fim de ano, as pessoas param de reformar e construir até a primeira quinzena do mês. Por isso, é esperado que tenhamos um desempenho inferior a novembro, com o consumidor

retomando as obras só após as férias escolares. Ainda assim, devemos fechar o ano com crescimento de 6,5% sobre 2017, quando tivemos faturamento de R$ 114,5 bilhões e estamos confiantes de que teremos um 2019 ainda melhor”, finalize.

Realizada pelo Instituto de Pesquisas da Anamaco, a Pesquisa Tracking Anamaco tem o apoio da Anfacer, Abrafati e Instituto Crisotila Brasil.

Envie seu comentário sobre esta notícia
Seu nome
Seu telefone
Seu bairro
Sua cidade
Escreva sua mensagem pressione shift + enter para adicionar linha
Todos os campos são obrigatórios
Recomendados