Paulinho Sestrem
Vereador registra dificuldades da UBS Santa Luzia por atender detentos da UPA
O vereador ainda falou sobre a possibilidade de cada comunidade definir a frequência de agendamentos de consultas nas unidades de saúde
por Assessoria de Imprensa da Câmara de Brusque 11/05/2019 às 06:38 Atualizado em 11/05/2019 às 06:39

Durante pronunciamento na sessão ordinária desta terça-feira, 7 de maio, o vereador Paulinho Sestrem (Patriota) repassou alguns pontos discutidos em reunião com o secretário de saúde do município, Humberto Fornari e outros parlamentares, realizada nesta segunda-feira, 6 de maio. Ele iniciou o assunto com um chamado à população para a vacinação contra a gripe, disponível nas Unidades Básicas de Saúde do município (UBS).

O parlamentar também explanou sobre a situação da UBS do bairro Santa Luzia, que está atendendo detentos da Unidade Prisional Avançada de Brusque (UPA), localizada na região. “Com certeza isso vai prejudicar o atendimento normal da população”, alertou. Após questionar o secretário de que a própria UPA poderia providenciar atendimento aos presidiários na instituição, Fornari informou aos vereadores que, com o desligamento do médico que lá atendia, outro profissional não foi chamado para substituição.“Hoje, essa UBS está com grandes problemas, em função de o estado não estar fazendo sua parte, que é chamar o 2° médico do edital”, ressaltou Sestrem.

Segundo informações da Secretaria de Saúde, explicou o vereador, cada comunidade decide por meio de reunião, documentada em ata, a definição de data reservada para marcação de consultas. Em alguns locais, onde foi determinado a frequência de 30 dias, grandes filas são formadas nas datas pré-definidas. A situação pode ser revertida, alterando por exemplo, a frequência para cada 15 dias, segundo o parlamentar, a partir “de uma resposta da comunidade, uma nova reunião organizada para que isso aconteça”, explicou. Por fim, ele frisou que o gargalo da saúde pública em Brusque são as especialidades, onde a população ainda precisa procurar outras cidades.

Transporte escolar

O parlamentar também trouxe à tona a utilização de ônibus para o transporte escolar municipal na linha Volta Grande, onde questionou que o veículo, após deixar os alunos, fica parado em frente à escola em tempo integral, desde o mês de fevereiro. Ele pediu apoio ao líder de governo, o vereador Alessandro Simas (PSD) para verificar se há repasse integral à empresa responsável pelo serviço.

Envie seu comentário sobre esta notícia
Seu nome
Seu telefone
Seu bairro
Sua cidade
Escreva sua mensagem pressione shift + enter para adicionar linha
Todos os campos são obrigatórios
Recomendados