ALESC
Defensoria Pública do Estado apresenta relatório de atividades
A explanação marca a passagem do Dia Nacional da Defensoria Pública e abrange também os números referentes aos dois últimos anos
por Assessoria de Imprensa Alesc 20/05/2022 às 05:19 Atualizado em 20/05/2022 às 05:20
FOTO: Bruno Collaço / AGÊNCIA AL

Em cumprimento ao que estipula o parágrafo 9º do artigo 104º da Constituição estadual, o defensor público-geral, Renan Soares de Souza, esteve na manhã desta quinta-feira (19) na Assembleia Legislativa para apresentar o relatório de atividades da instituição.

A explanação marca a passagem do Dia Nacional da Defensoria Pública e abrange também os números referentes aos dois últimos anos, quando a prestação de contas deixou de ser feita em função da pandemia de Covid-19.

O dirigente iniciou sua fala explicando que a Defensoria Pública do Estado de Santa Catarina (DPESC) é uma instituição que presta assistência jurídica integral e gratuita, com foco nos cidadãos vulneráveis economicamente, atuando também na promoção dos direitos fundamentais dos cidadãos, seja individuais ou coletivos.

Entre 2020 e 2021, disse, a instituição realizou 1,3 milhão de ações, montante que representou um incremento de 34% em relação ao biênio anterior. Também houve uma elevação de 42% no ajuizamento de questões coletivas, tidas como as que mais revertem em benefícios para a sociedade. 

Ao todo, houve o ajuizamento de 28.787 novos processos, 264.363 peticionamentos e recursos, 40.491 audiências, 375.094 atendimentos, e 10.509 audiências de conciliação/mediação extrajudicial. Somente na  área de família e saúde pública, houve 10.769 ações ajuizadas, especialmente para o fornecimento de medicamentos, cirurgias e leitos de UTI.

Ele explicou que no período foram promovidas diversas inovações na instituição, sendo a principal a criação de quatro núcleos especializados: de promoção e defesa dos direitos das mulheres; da infância e juventude, direitos da pessoa idosa e da pessoa com deficiência; de cidadania, igualdade, diversidade e direitos humanos coletivos; de habitação, urbanismo e direito agrário.

Em razão das restrições decorrentes da pandemia de Covid-19, que atrapalharam o comparecimento do público aos 24 núcleos regionais da Defensoria, em 2021 também foi desenvolvido o Sistema de Agendamento On Line, que já conta com  mais de 30 mil agendamentos de atendimentos. “Os agendamentos são feitos pelo próprio site da Defensoria, com o atendimento remoto proporcionando uma maior eficiência no atendimento ao cidadão e a redução das filas, que eram o nosso grande problema.”

Por meio de uma emenda parlamentar federal, também foi adquirido um veículo, denominado “Van de Direitos”, para a realização de atendimentos itinerantes, nos quais se sobressaem orientações jurídicas e agendamentos. “Desta forma, nós vamos com as nossas equipes, de defensores e servidores, até os locais e também levamos esse atendimento diretamente à população.”

Outra inovação foi a instalação, em 2021, de uma unidade de atendimento na Assembleia Legislativa.  “Desde logo registramos mais de 250 atendimentos, muitos deles frutos de encaminhamentos por parte de bancadas, de partidos, ou dos gabinetes dos deputados, com a maioria deles referindo-se a alimentos, guarda, regulamentação de visita, fornecimento de medicamentos e vagas em creches.”

Apesar da abrangência na atuação, ele explicou que em Santa Catarina há aproximadamente 2,5 milhões de pessoas economicamente vulneráveis (com renda familiar inferior a três mínimos) que ainda não contam com os serviços da DPESC, devido à deficiência na estrutura. Segundo disse, atualmente a defensoria conta com um quadro funcional com 114 defensores públicos, 95 analistas e 78 técnicos.

Neste sentido, ele pediu apoio dos deputados para a aprovação de um projeto, em tramitação na Assembleia Legislativa, visando à criação de 25 novos cargos para a instituição. “Nós necessitamos desta reestruturação para podermos ampliar a estrutura de atendimento, para bem servir o cidadão catarinense que mais precisa, que é o cidadão hipossuficiente. Por isso, nós fazemos sempre esse apelo para que esta casa abrace os nossos pleitos.”

Em outro ponto, ele também destacou a divulgação, neste ano, de um relatório do Superior Tribunal de Justiça (STF) que aponta a unidade catarinense na 5º posição entre as defensorias públicas que possuem maior número de processos nas cortes superiores - o próprio STF e o Superior Tribunal de Justiça.  “Isto demonstra, na realidade, que o cidadão vulnerável de Santa Catarina, o cidadão hipossuficiente, tem acesso por meio da defensoria pública aos tribunais superiores.”

O dirigente também destacou o trabalho realizado nos últimos três anos pelo Núcleo Criminal da DPESC, que conseguiu o cancelamento de 1.100 anos nas condenações de apenados no estado, por inadequação ao Código Penal. Com isto, disse, foi possível economizar um gasto público superior a R$ 24 milhões.

Ao final, ele apresentou aos deputados sua preocupação com o cumprimento do artigo 98 da Constituição Federal, que estabelece, a partir de 2014, prazo de oito anos para que todas as comarcas do país contem com defensores públicos. Segundo disse, ainda neste ano o estado catarinense poderá estar em uma situação de inconstitucionalidade, caso a iniciativa não seja implementada. “Santa Catarina, infelizmente, conta com o terceiro maior déficit de defensores entre todos os estados do Brasil e há mais de oito anos não contamos com novos cargos de defensores para possibilitar a ampliação dos serviços à população pobre.”

Na condição de 1º vice-presidente da Assembleia Legislativa, o deputado Maurício Eskudlark (PL) agradeceu aos esclarecimentos prestados por Renan Soares de Souza e parabenizou a DPESC pelos resultados alcançados.

Dia Nacional do Defensor Público

Desde 1983 é comemorado no dia 19 de maio com o Dia do Defensor Público. A data foi escolhida como uma forma de homenagear Santo Ivo de Kermartin, personalidade que dedicou o seu exercício da advocacia à defesa de órfãos, viúvas, pobres e todos aqueles definidos, pela sociedade da época, como desassistidos. A data faz alusão ao dia da morte de Santo Ivo de Kermartin, 19 de maio de 1303, como uma homenagem aos defensores e defensoras públicas.

Envie seu comentário sobre esta notícia
Seu nome
Seu telefone
Seu bairro
Sua cidade
Escreva sua mensagem pressione shift + enter para adicionar linha
Todos os campos são obrigatórios
Recomendados