Janela Popup com Áudio

Ao Vivo

Publicidade

Recuperação da dívida ativa no primeiro semestre supera todo valor de 2023

Montante arrecadado neste início de 2024 é mais do que o dobro de todo ano passado

Fonte: Secom/Brusque

Publicidade

Proatividade, transparência e comunicação. Foi desta forma que a Procuradoria Geral do Município conseguiu um aumento significativo dos valores arrecadados na recuperação da dívida ativa de Brusque.

Somente nos seis primeiros meses de 2024, foram arrecadados R$ 295.525,97, contra um total de R$ 133.054,87 em todo ano de 2023, um aumento de 122%, sem contar o restante do ano corrente.

Em relação ao número de transações, elas passaram de 394 em 2023 para 672 no primeiro semestre de 2024, um acréscimo de 70%.

Este aumento na arrecadação foi norteado por três pilares considerados fundamentais para tal realização. “Foi preciso muita proatividade, total transparência com o cidadão e uma clara comunicação, explicando todo o processo que estava acontecendo. Muitos não sabiam que deviam e muito menos quanto deviam”, disse a chefe de execução fiscal, Ana Rosa Lebeck.

“O aumento dessas transações tributárias se deu principalmente pelo empenho do setor de execuções fiscais em buscar o contato direto com o contribuinte. Temos o canal do call center em que localizamos o contato do contribuinte e oferecemos os benefícios das transações tributárias. E o mais importante: a transação tributária é bem mais vantajosa que o Refis. Inclusive somos um dos poucos municípios catarinenses a ter a Transação Tributária, onde é possível ter bons descontos mesmo parcelando o valor”, comentou.

Até 2023, o Município contabilizava mais de 15 mil processos de execução fiscal. Hoje, este número foi reduzido para pouco mais de 10 mil. Tudo isso por conta da forma diferenciada encontrada pela Procuradoria em lidar diretamente com o contribuinte.

“Essa forma de procurar o contribuinte tem ajudado muito. É isso que faz a diferença aqui do nosso município até em relação a outros vizinhos no estado”, afirmou Ana Rosa. “O mais importante é que o nosso tribunal sabe que a gente se esforça, é passado pra eles o que a gente faz, que a gente tem a iniciativa de entrar em contato, que a gente tem a iniciativa não só de deixar lá o pedido judicial no processo, mas que temos o esforço administrativo por trás”, finalizou.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Publicidade

Fale Conosco

plugins premium WordPress

Utilizamos cookies para lhe proporcionar a melhor experiência no nosso portal. Conheça nossa Política de privacidade ou clique em continuar no botão ao lado.